Image Map

Imagine Louis Tomlinson | Liar

em 10 de outubro de 2016 |



— Eu quera que você ficasse com a gente, mas sei você precisa realmente ir, eu entendo.
Um pequeno bico se formou nos lábios de (seu nome) enquanto ela estava de frente para o mardo que estava de costas para a porta olhando em seus olhos. Ela tinha sua barriga grande de sete meses mantendo sua mão sobre ela acariciando, um hábito que desenvolveu durante a gravidez.
— Eu preciso muito ir, amor... Sabia que independente de qualquer coisa, é vocês que eu amo. — Louis se inclinou beijando a barriga que gera seu filho e logo depois selou os lábios de sua mulher — Agora eu preciso ir.
(Seu nome) disse que os dois o amavam também e fechou a porta assim que o marido entrou no elevador. Ela realmente não queria que ele fosse, mas entende que é o trabalho dele e que não há como ela dizer não para poder ficar com ela e a garotinha em sua barriga. Em dois meses sua menina estará abrindo os olhos para o mundo pela primeira vez e ela mal pode esperar por esse momento.
A vida para ela é perfeita, nunca acreditou muito em finas felizes, mas o que ela e Louis construíram podia ser comparado a um no ponto de vista dela.Não demoraria muito para eles serem a família que ela sempre quis.
°•°•°
Horas depois de sair de casa Louis está jogado na cama encarando o teto enquanto uma mulher que não porta a aliança do compromisso que ele prometeu honrar, está nua ao seu lado. Sempre depois de fazer sexo com essa outra mulher, ele tem um momento de reflexão, não sabe ao certo como se deixou levar por ela, quando viu já estava envolvido demais e ainda não teve o pulso firme para terminar tudo.
(Seu nome) não merece isso e ele sabe muito bem, ela sempre foi uma mulher companheira, compreensiva e ela a ama mais que tudo, não só por ela estar carregando sua filha, mas por ser a mulher de sua vida. Ele não gosta nenhum pouco do que faz e das mentiras que conta, mas ele também não consegue se livrar dessa parte podre de sua vida.
No momento ele está nu e se sentindo péssimo em um dos maiores hotéis da Califórnia enquanto sua mulher está em Londres achando que ele está viajando a trabalho. Quando ele estava na frente do padre, dentro da igreja, ele não imaginava que dois anos depois estaria agindo como um completo cafajeste.
•°•°•
(Seu nome estava em casa limpando a parte de baixo da estante da sala quando ouviu o telefone fixo tocar alto um pouco distante dela. Com calma ela se levantou ela se levantou do chão e caminhou até o mesmo o atendimento antes de cair a ligação.
— Alô? — perguntou com o telefone apoiado na orelha e com a mão livre acariciava sua barriga.
— É da casa de Louis Tomlinson? — a voz de um homem soou do outro lado da linha.
— Sim, aqui é a esposa dele. Ele não se encontra no momento.
— A senhora, por favor, peça para que ele ligue para a empresa quando chegar. Diz que aconteceu um imprevisto e ele terá que retornar das férias. — (seu nome) franziu o cenho completamente confusa com o que o homem falou. Com toda certeza há algum erro.
— Acho que o senhor se enganou... Louis está em uma viagem à trabalho já fazem dois dias. Ele foi apresentar um novo projeto na Califórnia. — ela tratou de corrigir o erro.
— A senhora que está enganada... O seu marido está de férias e não temos nenhuma filial na Califórnia.
Esse foi o momento em que o coração de (seu nome) disparou de uma forma desproporcional a fazendo sentir uma pontada na parte baixa da barriga. Louis havia mentido para ela e as pessoas mentem porque geralmente está fazendo alguma coisa errada e ela não pode acreditar que ele é capaz disso.
Parada encarando um ponto fixo na sala sua mente viaja longe a impossibilitando de ouvir os chamados do homem ao telefone e as pontadas cada vez mais frequentes em sua barriga.
— Senhora? Senhora, está tudo bem? Senhora?
— E-está si- — (seu nome) interrompeu sua própria frase para gemer alto ao sentir uma pontada muito forte em sua barriga, ela até então não sabia o que estava acontecendo e foi quando algo começou a escorrer suas pernas.
— E-estou... Em trabalho de parto? 
Foi o que (seu nome) conseguiu dizer antes de soltar o telefone abraçando sua barriga e se curvando ao sentir outra dor a atingir, com medo de não conseguir andar caso demore muito, ela começa a dar pequenos passos em direção a porta chegando a mesma com certa dificuldade. Ao se encontrar no corredor do apartamento, ela bate na porta do vizinho pedindo ajuda.
°•°•°
Louis havia acabado de chegar do shopping depois de andar várias lojas acompanhando Danielle, seu celular havia ficado carregando e ele foi direto ao mesmo o ligando para que chegasse se havia alguma mensagem de (sua nome). Alguns segundos depois que ligou o celular, ele começou a tocar.
— Sim? — ele sabia que era o número de seu trabalho e estava feliz por dentro com o possível pedido para que ele volte a trabalhar, pelo menos ele estaria em casa.
— Eu tentei te ligar durante muito tempo e quando eu consegui falar com sua esposa ela entrou em trabalho de parto. Onde você está° — Louis começaria a rir se não fosse o seu chefe falando do outro lado do telefone. Ele sabe que seu chefe não gosta de brincadeira e nunca se prestaria a esse papel independente de quem seja, além de tudo o velho é bem família e não brincaria com esse assunto.
— Como assim? Não está na hora. — ele tentou não demonstrar, mas está bastante preocupado. Mesmo que ele faça besteira, sua mulher e sua filha sempre serão importantes que tudo no mundo.
—Eu não sei o que houve, estávamos conversando e ela ficou muda de repente, depois disse que estava em trabalho de parto e nada mais.
E foi o suficiente para que Louis dissesse apenas um rápido "tchau" para o homem e correr até seus documentos dando o fora do hotel sem nem mesmo falar com Danielle que estava no banheiro.
...
Algumas horas depois, Louis já estava no hospital em pé ao lado da cama que (seu nome) se encontra, ele havia conversado com o médico e visitado sua pequena que estava na incubadora cercada de outros bebês prematuros como ela ou em casos piores que o dela.
(Seu nome) estava dormindo desde que ele chegou o que o leva a sentir culpa por não ter estado com ela em um momento complicado como esse. Pelo o que ele conhece dela, sabe que ela ficou apavorada e com medo de perder a bebê, qualquer um apessoa ficaria e ele não estava com ela.
Olhando-a dormir ele tomou uma decisão que deveria ter tomado a muito tempo, de certa forma não deveria ter sido tomada, não deveria nem estar em pauta, pois se ele tivesse resistido a sedução de Danielle e se mantido fiel não estaria com a culpa de ter deixado suas garotas em perigo. ele será forte pelas duas, cortará os laços e a comunicação com Danielle, e manterá tudo em segredo para não correr o risco de (seu nome) deixá-lo ao saber desse deslize que ele cometeu.
É egoísta, mas ele a ama e não quer ver sua família ser destruída sem antes mesmo ser de fato formada.
— Onde você estava? — Louis ouviu a voz um pouco rouca de (seu nome) desviando seu olhar para ela e sorrindo ao ver que ela está bem.
— Vocês me assustaram, nós temos uma menininha muito apressada. — ele riu fraco tentando mudar de assunto.
— Ligaram do seu trabalho... Você está de férias e mentiu para mim. — (seu nome) manteve o assunto.
— Foi um engano, amor... Eu estava viajando a trabalho e quem ligou foi um estagiário novo e ele me confundiu com outro funcionário. — ele sorriu fraco acariciando os cabelos da mulher — Agora eu estou de férias... Eu liguei para o chefe e contei a novidade, ele me deu alguns dias para que eu fique com vocês. — Louis mentiu... De novo. Mas agora é por uma boa causa, não?!
— Melhor assim... — (seu nome) sorriu se sentindo aliviada por ter sido apenas um mal entendido — Você a viu? Eu a vi por um momento e ela é tão linda.
— Eu a vi pelo vidro e me sinto o pai mais sortudo de todo mundo. — Louis mostrou-se animado deixando de lado por um tempo a culpa da traição — Eu conversei com o médico e ela terá que ficar alguns dias em observação e teremos que acompanhar todo o processo de desenvolvimento até que ela saia daqui, mas mesmo com esses detalhes eu não consigo deixar de estar feliz em tê-la.
— Eu me sinto da mesma forma, farei de tudo para que nossa bebê fique segura e bem o suficiente para conhecer nossa casa.
Louis deixou um beijo rápido sobre os lábios da esposa a pedindo para descansar, pois eles teriam uma longa estadia no hospital até que a pequena Hope pudesse enfim ir para casa.



Espero que vocês gostem :)
E Jéssi eu recebi seu pedido e o farei assim que possível




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hey! Obrigada por comentar! ♥
— Por favor, se comentar em anônimo deixe seu nome, apelido ou o que preferir no final do comentário como assinatura.
— Não use xingamentos e não desrespeite qualquer membro deste blog, desde leitores á autores.
— Comentários maldosos serão apagados.
— Críticas construtivas são bem aceitas.
— Cada um tem sua opinião, então respeite.
— Não esqueça que seu comentário nos anima a postar cada vez mais.